Escritor

Sabe, esses dias estava pensando na vida e cheguei a uma conclusão: acho que virei escritor :) No dia a dia é mais difícil perceber as mudanças de longo prazo, mas fazendo uma retrospectiva dos últimos anos, parece que minha profissão mudou.

Sempre quando tenho que preencher um cadastro, no campo “ocupação” eu respondo sem pensar: programador.

É assim desde a época de Conectiva, há dez anos atrás. Esse era o meu trabalho: programar computadores. Passei por vários setores e desempenhei várias tarefas, mas sempre que podia, fazia um programinha para automatizar e/ou padronizar as coisas. Ocupação: programador. Normal, né?

Bem, mas no final de 2005, eu surtei. Pedi demissão, fui morar na praia e tentei ser fotógrafo de surfe. Era o meu plano de desnerdização, não queria mais saber de computadores. Muito bonito na teoria, mas não deu certo. #FAIL

Desempregado por opção, mas com o dinheiro contado para durar até o fim do ano, em meados de 2006 voltei às nerdices para tentar me sustentar sem precisar voltar ao esquemão empresa/CLT. Fiz alguns programinhas, lancei blogs e continuei atualizando o site. Foi neste ano também que lancei o meu primeiro livro “de verdade”.

Bem, foi em 2001 que lancei o meu primeiro livro de fato: Guia Rápido de Expressões Regulares, com 96 páginas em formato de bolso (10×23cm). Mas até hoje não sei se é certo chamar um guia rápido de livro. É e não é, né? :)

Mas eu ainda estava perdido na vida, sem saber que rumo seguir. Ganhava várias pequenas rendas, que somadas davam um valor legal até, mas o custo era alto: trabalhava diariamente mais de 12 horas, inclusive finais de semana. Nada podia parar: sites, blog, livro, programas, clientes. Lá estava eu equilibrando pratos novamente. Eu precisava de um foco, me dedicar mais em alguma dessas tarefas e ter uma renda mais garantida.

Em 2007, trabalhei pesado para conseguir concretizar um projeto antigo: o livro de shell. Com quase 500 páginas, esse monstro me deu muito, muito, mas MUITO trabalho. O lançamento em 2008 foi como um parto: além da felicidade, senti um alívio muito grande. O “pesadelo do shell” tinha terminado.

Mas o trabalho compensou: as vendas desse livro foram bem acima das minhas expectativas. Somado com as vendas do livro de expressões regulares, pela primeira vez, desde o início dessa brincadeira de escrever em 2001, comecei a ganhar um dinheiro legal com a venda de livros: cerca de mil reais mensais.

Ainda não é comparável ao antigo salário de programador, mas hoje a venda dos livros é minha principal fonte de renda.

Agora estou aqui, feliz, morando em Joinville com minha querida Mog. Continuo oficialmente desempregado (para desespero do setor conservador da família), trabalhando em casa, nas minhas coisas.

Os planos agora são simples: escrever mais livros. A terceira edição do piazinho já está nos finalmentes e será lançada mês que vem. E se eu conseguir me organizar, quero fazer um livro novo ainda em 2009. E vamo que vamo!

E que venha o próximo cadastro! O campo “ocupação” vai ter uma resposta nova :)

Mensagem especial: Após ler tudo isso, você, que acreditou no meu trabalho e comprou algum de meus livros ou ajudou na divulgação, agora pode saber o quanto é profundo e sincero o que vou te dizer: MUITO OBRIGADO, eu não teria conseguido sem a sua ajuda.

— EOF —

Gostou desse texto? Aqui tem mais.

comments powered by Disqus