Tenho três empregos

Estou numa rotina de trabalho tão insana que tenho que registrar.

Acordo às 05:45 e vou dormir à meia-noite. De manhã trabalho 4h na Prefeitura de Joinville, à tarde trabalho 6h na startup ContaAzul e à noite e intervalos, estou escrevendo um livro novo. Isso dá 13 horas de trabalho por dia.

O dia começa cedo às 05:45. Estou acordando sozinho já, antes do despertador. Coisa de véio, tá ligado?

Ali pelas 6 da manhã vou pra minha "máquina de escrever" (um iPad com teclado Bluetooth) e consigo trabalhar cerca de meia hora no livro novo. Não é muito, nem dá tempo de se concentrar de verdade, mas serve para reler e melhorar o texto do dia anterior, com a mente limpa. Reescrevo os trechos que não ficaram muito claros, e dou uma lapidada geral, fazendo melhorias pontuais aqui e ali.

Às 06:45 pego minha bicicleta e vou para a Prefeitura de Joinville. Sou funcionário Público há quase 3 anos, e lá trabalho como programador das 07:00 às 11:00. Atualmente desenvolvo em WordPress (PHP), construindo o site novo da prefeitura, que será fortemente inspirado no sensacional GOV.UK. Está sendo bem empolgante construir algo novo e moderno por lá.

A jornada normal na prefeitura é de 6 horas, mas eu fiz o requerimento para diminuir para 4 horas (com redução de salário, é claro) para poder ter o segundo emprego à tarde.

Volto de bicicleta, paro para almoçar no restaurante e chego em casa perto do meio-dia. Os deslocamentos e almoço são sempre ao som de podcasts, preenchendo a mente com novos conhecimentos nesses momentos solitários e ociosos.

Já em casa, dedico mais meia hora ao livro novo. Consigo fazer uns três ou quatro parágrafos novos, quem sabe um exemplo de código também. De noite acabo reescrevendo quase tudo, pois em meia hora é difícil sair algo de qualidade. Mas vale a pena, pois parte do processo de criação é fazer várias versões ruins até que se chega na boa.

Você, estimado leitor, só vê o resultado final, tanto nos livros quanto aqui no blog. Mas a maior parte do texto que escrevi foi jogada fora. Cada parágrafo teve várias versões até chegar no ponto certo. As ideias vão amadurecendo conforme se escreve e reescreve. Cada texto aqui do blog leva no mínimo 3 horas para ficar pronto.

Às 12:45 saio de casa e vou de carro para a ContaAzul, uma startup moderninha aqui de Joinville que comecei a trabalhar há 5 meses. Minha jornada lá é das 13:00 às 19:00 e estou no time de DevOps. Enquanto na prefeitura eu trabalho com tecnologias que domino, na ContaAzul é um admirável mundo novo “na nuvem”, com Amazon, CI, CD, Docker, Puppet, Jenkins, Travis, e tantas outras ferramentas e conceitos que eu nunca tinha usado. Bem desafiador e empolgante!

Volto pra casa e em meio a outros compromissos noturnos inadiáveis, como fazer minhas aulas de alemão no Duolingo e curtir um Netflix com a Mog, consigo encaixar cerca de duas horas de trabalho no livro. É neste momento que consigo me concentrar de verdade e escrever bastante. A escrita flui bem e aos poucos o livro vai ganhando corpo.

Na hora de ir dormir, estou bem cansado, física e mentalmente. Percebo que o deslocamento (seja de bicicleta, ônibus ou carro) cansa meu corpo, e o chaveamento de contextos (WordPress, livro, nuvem) e sistemas operacionais (Windows, Linux, iOS) cansa minha mente. Sei que isso não é nada saudável, porém essa rotina maluca é um esforço temporário, só até terminar o livro novo.

Minha esposa Mog é uma super parceira e está, como sempre, me apoiando, incentivando e cuidando bem de mim. Ela também tem seu emprego e nos intervalos resolve todos os pepinos da vida, que eu não consigo me envolver. O livro de shell não teria saído sem o apoio dela, e dessa vez será igual. Muito obrigado meu amor! ❤️

O tema do livro? Prefiro ainda não falar por enquanto. No passado eu já fiz promessas, parei um livro na metade, então dessa vez só vou divulgar quando tiver certeza que conseguirei chegar até o fim. Mas é claro que é um livro nerd, né? :)

— EOF —

Gostou desse texto? Aqui tem mais.

comments powered by Disqus