Mac OS X - FAQ e Dicas

Página com dicas, aplicativos e informações sobre o Mac OS X, com foco em usuários brasileiros e com experiência em Linux/UNIX.

Comunidade

Lista de Discussão

Local de encontro dos usuários, para discussões e dicas sobre o sistema, em português. A temática da lista é ajudar na migração de usuários de Linux para o Mac. Para entrar, mande um e-mail para linux2macosx-subscribe@yahoogrupos.com.br. Para ler as mensagens já circuladas, procure no arquivo.

Grande parte do conteúdo desta página foi retirado do histórico da lista. Se você se encaixa no perfil linuxeiro no mac, junte-se a nós!

Blogs

Aplicativos Feitos por Brasileiros

AdiumBook, por Aurelio Marinho Jargas
O AdiumBook serve para fazer pesquisas e cruzar dados de contatos do Adium e do Address Book, mantendo-os em sincronia. Escrito em AppleScript + Cocoa.
FetchYourLyrics, por Julio Cesar Silva dos Santos
O FetchYourLyrics é um programa que mostra as letras da música que está tocando atualmente no iTunes. Se o campo de letras estiver vazio, o programa procura por elas na Internet.
MySQL GUI Tools, por Alfredo Kojima
O Kojima (Window Maker, sabe?) trabalha na MySQL e fez as versões para Mac de três componentes do MySQL GUI Tools: Workbench, Query Browser e Administrator.
QuickSinergy, por Otávio Corrêa Cordeiro
O QuickSynergy é uma interface amigável de configuração para o Synergy2 (aplicativo que compartilha o mesmo mouse e teclado para dois ou mais computadores). Escrito em AppleScript + Cocoa.
Rudix, por Rudá Moura
O Rudix disponibiliza pacotes prontos para instalar de programas úteis do Linux que faltam no OS X, como wget, ncftp e lynx. Diferente do Fink ou do MacPorts, cada pacote é auto contido e pré-compilado. Não há dependências ou requisitos, basta baixar e usar.

Aplicativos Indispensáveis

Adium Cliente de IM multi-protocolo (MSN, ICQ, Yahoo, GTalk, ...) nativo
Brasileiro-abnt2 Mapeamento de teclado ABNT -
Camino Navegador do Mozilla.org nativo
DoubleCommand Troca Cmd/Option, desliga Caps Lock nativo
Fink O "cygwin" do Mac (1) -
Firefox Navegador port
Gimp Edição de imagens port/X11
ImageWell Edição rápida de imagens nativo
Inkscape Desenho vetorial port/X11
MacPorts (ex-DarwinPorts) O "cygwin" do Mac (2) -
NeoOffice Suíte OpenOffice nativo
Quinn Clone do jogo Tetris nativo
Rudix O "cygwin" do Mac (3) -
Skype Telefone na Internet nativo
Transmission Cliente Bit torrent nativo
USInternational (1, 2) Mapeamento de teclado us-acentos -
X-Chat Aqua X-Chat (IRC) port
Xiph QT Suporte a OGG no sistema -

Veja também: A list of useful software (em inglês)

Preliminares

1. Tem como instalar o Mac OS X em um PC?

Hoje não, pois as máquinas da Apple usam processadores PowerPC, uma arquitetura diferente do PC. Mas a empresa mudará toda a sua linha para usar processadores Intel em 2006/2007, então brevemente (teoricamente) será simples instalar o OS X em um PC normal.

Nota: Hoje é possível instalar o OS X em um PC com algum esforço, usando o emulador PearPC ou baixando imagens ISO da Internet. No emulador fica lento e instalar a imagem é um parto, mesmo para experts em informática.

2. Tem como instalar o Linux em um Mac?

Sim. É possível instalar só o Linux ou fazer dual boot. Há várias distribuições de Linux que possuem versões para PPC (PowerPC). Há também uma distro exclusiva de PPC, a Yellow Dog. É só baixar os ISOs dos CDs, queimar e instalar o Linux normalmente, funciona tudo normal. Dica: para bootar um Mac pelo CD, segure a tecla C ao ligá-lo.

3. O Mac OS X é livre?

Não. O coração do sistema é uma variante do BSD (UNIX), mas sua interface gráfica (Aqua) é código fechado. Não há previsão de abertura desse código.

4. O Mac OS X é tipo um KDE/Gnome? Ou é tipo um Windows?

O Mac OS X é bem diferente tanto do Linux quanto do Windows. Sua interface é ultra simples e o foco principal é a facilidade de uso.

  • No topo da tela, há uma única barra de menu, usada por todos os aplicativos. A janela de um aplicativo é limpa, não tem menu próprio. O menu do topo da tela muda conforme o aplicativo que está em foco.
    • Na extrema esquerda do menu, tem o menu Apple (com a maçã), que dá acesso a funções relativas ao sistema como um todo (configuração, atualização, desligar, ...).
    • Logo em seguida vêm os menus do aplicativo atual.
    • No canto direito do menu estão os mini-ícones, com acesso rápido a aplicativos e o relógio. Eles lembram o canto direito da barra de tarefas do Windows.
  • Na parte inferior da tela está o Dock, que lembra o Window Maker. No Dock ficam os aplicativos mais usados, a Lixeira e as janelas minimizadas.
  • O resto da tela é a Mesa (Desktop), com ícones de mídias montadas (disco rígido, CD, DVD, USB) e arquivos que o usuário coloca ali.

E só. Nada de excessos, nada de firulas desnecessárias. Aqui tem screenshots e vídeos do sistema.

5. Onde posso obter mais informações?

Em português:

Em inglês:

Primeiros Passos

6. Tá, acabei de logar pela primeira vez no Mac OS X. E agora?

Abra sua mente :)

  1. Esqueça tudo o que você sabe sobre Linux
  2. Esqueça tudo o que você sabe sobre Windows
  3. Esqueça tudo o que você sabe sobre informática

Dê-se a chance de experimentar algo novo com a mente limpa, sem vícios e sem pré-conceitos. Você se surpreenderá ao perceber como o sistema é amigável e intuitivo. Muito do que você costumava se preocupar antes, simplesmente funcionará sem que você se dê conta.

Use e abuse do Drap & Drop. Arraste coisas (ícones, textos, imagens) para o Dock, Finder, diálogos, janelas... Experimente, é seguro. O sistema não deixa você fazer algo que possa danificá-lo e é possível desfazer a maioria das ações.

Para conhecer os truques ninjas e saber mais sobre o "jeito Mac" de fazer as coisas, leia a ajuda do Finder (Finder → Ajuda → Ajuda Mac).

7. Cadê os outros botões do mouse?

Os Macs vêm com mouses de um botão, pois os aplicativos são projetados para serem simples e fáceis de usar. Para imitar o segundo botão do mouse, clique o mouse com a tecla Ctrl pressionada. Se preferir, plugue um mouse USB comum e os demais botões funcionarão normalmente.

8. Onde está o terminal?

Applications → Utilities → Terminal.app

Se quiser usar terminal com abas (tabs), instale o iTerm.

9. Onde estão meus preciosos .conf?

Sei que isso vai chocá-lo e provavelmente causará revolta, mas aceite a realidade: esqueça seus .conf. Os aplicativos são configurados de maneira padronizada, graficamente, via Preferências (Command-,). Se você fizer questão de saber onde ficam os arquivos, vasculhe seu ~/Library/Preferences e seja feliz. São arquivos XML que podem ser editados "na mão" à vontade, embora raramente isso seja necessário.

10. Instalação e remoção de aplicativos

Em geral, instalar um aplicativo é simplesmente copiar seu ícone para a pasta /Applications e desinstalar é apagar o ícone (jogar na lixeira). Também é possível colocar aplicativos no seu HOME (dentro do ~/Applications). Na verdade tanto faz a sua localização, até no /tmp vai funcionar, mas recomenda-se sempre usar o /Applications. Alguns aplicativos maiores vêm com instalador, e destes, alguns possuem desinstalador e outros indicam no README quais as pastas criadas.

11. Como saber a versão de um aplicativo instalado?

Ou abra a sua tela About (no menu com o nome do aplicativo), ou veja a janela de informações pelo Finder (Command-i no seu ícone). Se quiser uma listagem completa de todos os aplicativos instalados e suas versões, vá em:

Maçã → Sobre Este Mac → Mais Informações → Software → Aplicativos

12. Como ter uma lista de todos os aplicativos instalados?

Para obter a lista de todos os aplicativos que você tem instalados em seu sistema, independente de sua localização (por exemplo, fora do /Applications), use o seguinte comando:

$ mdfind 'kMDItemContentTypeTree == "com.apple.application"c'

13. Tem como usar um programa do Linux no Mac?

Tem. Assim como tem o Cygwin para Windows, no Mac tem o Fink e o MacPorts (ex-DarwinPorts). Eles simulam um "ambiente" Linux, sendo possível instalar programas como ImageMagick, pico e lynx. Também funcionam os programas gráficos como Xgalaga e até o Window Maker! A diferença é que o Fink utiliza pacotes no formato Debian e o MacPorts baixa os fontes e os compila localmente. Escolha o que mais lhe agradar. Visite a página de cada sistema para ver a lista completa de programas suportados.

14. Onde estão meus múltiplos desktops?

F9. A tecla mágica do OS X. Use-a, sempre. Você pode trabalhar com todos os aplicativos em tela cheia e quando precisar chavear, há três opções: Command-Tab, clicar no ícone do aplicativo no Dock ou apertar F9 (Exposé) e clicar na janela desejada. Com o tempo você perceberá que, dispondo destes recursos, não há necessidade de múltiplos desktops. Mas se mesmo assim você quiser, tem.

15. Como obter as informações do sistema

Para obter via linha de comando as informações que são listadas no menu "Maçã → Sobre Este Mac → Mais Informações", basta usar o comando /usr/bin/system_profiler. A opção -detailLevel vai de -2 a 1 e indica a quantidade de informações do relatório. Usar -2 significa relatório resumido. Consulte a página de manual para mais informações.

$ system_profiler -detailLevel -2

16. Como assassinar um aplicativo

Command-Option-Esc vai abrir a janela com os aplicativos ativos. Escolha o zumbi e clique em Forçar Encerrar. O Finder é o único que não pode ser morto, apenas reiniciado.

17. Como tirar screenshots

Command-Shift-3 tira uma foto da tela toda e grava o resultado em um arquivo na sua Mesa (Desktop). Se você usar dois monitores, será tirada uma foto para cada um.

Command-Shift-4 deixa que você selecione qual parte da tela quer fotografar. Clique e arraste o mouse para formar o retângulo. Ao soltar o botão, o arquivo será gravado na sua Mesa. Aperte Esc a qualquer momento para cancelar.

Para selecionar uma janela inteira, aperte Command-Shift-4 e em seguida a barra de espaço. O cursor virará uma máquina fotográfica e a janela que o mouse estiver sobre, será selecionada. Ao clicar com o mouse, o arquivo será gravado na sua Mesa. Aperte Esc a qualquer momento para cancelar.

Para tirar uma foto de um Screen Saver, pressione Command-Shift e fique segurando. Enquanto isso vá nas Preferências do Sistema → Screen Saver, escolha um e mande testar. Espera um pouquinho e aperta 3. Pronto.

Ao segurar também a tecla Control em qualquer um destes procedimentos, a foto será copiada para a Área de Transferência ao invés de ser criado um arquivo na Mesa.

18. Executando comandos como root

O sudo já está configurado no Mac OS X e os usuários administradores já têm permissão de executar todos os comandos (%admin ALL=(ALL) ALL). Então basta colocar "sudo" na frente do comando que você quer executar e em seguida digitar sua senha de usuário.

$ sudo vi /etc/passwd

19. Tornando-se root

$ sudo su -

E digite a sua senha de usuário. Não há senha para o usuário root.

Comandos

20. Onde estão as duzentas opções do ls?

Lembre-se que embaixo do Mac OS X é um BSD e não um GNU/Linux. Alguns comandos são diferentes e outros, apesar de possuírem mesmo nome e função, têm opções diferentes ou são mais limitados. Na dúvida, consulte a página de manual.

21. Como deixar o ls colorido

Coloque essas linhas no final do seu ~/.bashrc:

export LSCOLORS="DxGxcxdxCxegedabagacad"
alias ls="ls -G"                              # -G == --color

22. Onde está o bc (ou o dc)?

Nem o bc nem o dc vêm instalados porque a própria calculadora do Mac (Calculator.app) também pode ser usada via linha de comando. Para facilitar seu uso, crie um alias, colocando essa linha linha no final do seu ~/.bashrc:

alias calc='/Applications/Calculator.app/Contents/MacOS/CalcEngine'

O uso é similar ao bc, inclusive contando com funções como sqrt(), ceil() e pow(). A lista completa das funções e mais dicas sobre a calculadora estão aqui.

$ echo 1/3 | calc
0.3333333333333
$ calc
1+2/3*4
3.6666666666667

23. Como fazer o df e o du mostrar os tamanhos corretos

Eles mostram :) Porém usando uma medida diferente da padrão no Linux. Para um comportamento igual, adicione essas linhas no final do seu ~/.bashrc:

alias df="df -kh"
alias du="du -kc"

24. Quero usar o locate!

O comando locate já vem instalado, o difícil é encontrar o updatedb. Aqui está:

$ sudo /usr/libexec/locate.updatedb

25. Cadê o comando md5sum?

Não precisa, pois o próprio comando openssl já faz a soma MD5, quando usado com a opção dgst. Exemplo:

$ openssl dgst -md5 /etc/passwd
MD5(/etc/passwd)= 456ab74c32ea6c2a96f83a3fff4f9e42

Se preferir crie um alias, colocando a seguinte linha no final do seu ~/.bashrc:

alias md5sum="openssl dgst -md5"

26. Cadê o comando seq?

No Mac (BSD), o comando similar ao seq é o jot. Se passado apenas um número, ambos os comandos funcionam iguais. Porém com múltiplos argumentos, a sintaxe difere:

seq  INíCIO  FIM  PASSO

jot  REPETIÇÕES  INíCIO  FIM

O jot tem diversas opções e é bem mais poderoso que o seq, leia a sua manpage para conhecê-lo melhor. Caso queira ter o seq original no Mac, é fácil emulá-lo com uma função em shell. Coloque estas linhas no final do seu ~/.bashrc:

seq() {
   local H='<' s='++' a=1 z=$1; [ "$2" ] && { a=$1; z=$2; }
   [ $a -gt $z ] && { H='>'; s='--'; };
   for ((i=$a;i$H=$z;i$s)); do echo $i; done
}

27. Cadê o ldd, strace e objdump?

O Rudá publicou em seu blog algumas dicas para quem estava acostumado a usar as ferramentas de desenvolvimento no Linux e ficou perdido no Mac OS X. Em resumo:

  • ldd: otool -L
  • objdump: otool -tV
  • strace: ktrace e kdump

28. Cadê o comando dialog?

O dialog (útil para fazer janelinhas com botões e menus em scripts shell) pode ser instalado no Mac pelo Fink.

Se você ainda não tem o Fink, aqui vai um guia rápido para instalá-lo somente com o dialog:

  1. Baixe o DMG do http://fink.sf.net
  2. Rode o instalador
  3. No Terminal: fink scanpackages; fink index
  4. No Terminal: sudo apt-get update; sudo apt-get install fink
  5. No Terminal: sudo apt-get install dialog

Há um projeto similar que desenha janelas nativas do Mac (Cocoa) também pela linha de comando, o CocoaDialog.

29. Cadê o comando make (e o gcc)?

Para ter o make, gcc e amigos, é preciso instalar o Xcode. Ele está no CD/DVD de instalação do Mac OS X. Mais especificamente, o gcc está no pacote Xcode Tools.

Configuração

30. [Acentuação] Como usar mapas de teclado alternativos (US, ABNT)

Para que a acentuação funcione corretamente com teclados US ou ABNT, baixe os mapeamentos (veja os links na seção Aplicativos) e faça:

  1. Descompacte e coloque em /Library/Keyboard Layouts
  2. Logout
  3. Login
  4. Maçã → Preferências do Sistema → Internacional → Menu de Entrada
  5. Selecione na lista o mapeamento recém-instalado

Caso a tecla de interrogação não funcione, dê uma olhada neste post.

Veja informações adicionais aqui.

31. Ligando/desligando plug-ins

No Finder, selecione o aplicativo desejado e aperte Command-i (Arquivo → Obter Informações). Na janela que abre, terá uma seção Plug-ins, basta marcar ou desmarcar cada item.

32. Configurar o idioma de um aplicativo

No Finder, selecione o aplicativo desejado e aperte Command-i (Arquivo → Obter Informações). Na janela que abre, terá uma seção Idiomas. Desmarque todos exceto o idioma desejado.

Outra alternativa é chamar o aplicativo com uma opção extra na linha de comando, exemplo:

/Applications/iCal.app/Contents/MacOS/iCal -AppleLanguages '(en-US)'

33. Exportando uma pasta via NFS

No Leopard:

Adicione uma linha nova no /etc/exports.

No Tiger:

Exemplo para exportar a pasta local /media/mp3:

  1. Rode o Applications → Utilities → Netinfo
  2. Clique no cadeado
  3. Crie uma entrada nova no raiz (/) chamada "exports"
  4. Dentro dela, crie três chaves:
    name: /media/mp3
    opts: ro
    client: <vazio>
    
  5. Inicie os servidores NFS
    $ sudo /usr/sbin/portmap
    $ sudo /usr/sbin/mountd
    $ sudo /sbin/nfsd -t -u -n 6
    
  6. Confira se funcionou:
    $ showmount -e
    $ sudo mount localhost:/media/mp3 /tmp/mala
    
    Se fizer alguma alteração e precisar reler a configuração:
    $ sudo kill -1 $(cat /var/run/mountd.pid)
    

Informações mais detalhadas (em inglês) em: Mac OS X as an NFS Server.

34. Onde configuro o Apache?

/etc/httpd/httpd.conf

/etc/http/users/<seu login>.conf

35. Onde ligo/desligo o Apache/Samba/FTP/SSH ?

Maçã → Preferências do Sistema → Compartilhamento

Mac OS X Internet Software
Personal File Sharing AFP(overTCP) AppleFileServer
Windows Sharing SMB/CIFS Samba
Personal Web Sharing HTTP Apache
Remote Login SSH OpenSSH
FTP access FTP tnftpd
Apple Remote Desktop ARD ARD Helper
Remote Apple Events EPPC AEServer
Printer Sharing LPR/printer CUPS

36. Usando dois monitores

Nos Tiger, o uso de múltiplos monitores funciona "de fábrica". No Panther, baixe o Screen Spanning Doctor, que libera várias configurações legais de vídeo, como por exemplo usar mais de 1024x768 de resolução do monitor externo em um iBook e ativar o modo não espelhado. Ele é bem esperto, podendo conectar e desconectar o monitor externo tranqüilamente, ele se garante de mover as janelas para o lugar certo.

Outros

37. Open, o comando curinga

O comando open é muito útil na linha de comando. Passando como parâmetro um nome de arquivo, ele o abre no aplicativo mais indicado (iTunes para MP3, visualizador para imagens, e assim por diante). Se o parâmetro for uma URL, ela é aberta no navegador. Se for uma pasta, ela será mostrada no Finder. Passando a opção -a e um nome de aplicativo, ele dispara este aplicativo. Por fim, passando a opção -e ele abre o Editor de Texto. Exemplos:

$ open imagem.jpg

$ open .

$ open http://www.google.com

$ open -a firefox

$ open -a gimp ~/Desktop/figura.png

$ open -e /etc/passwd

38. Say, o comando que fala

O Mac fala. Uma das maneiras de fazê-lo soltar a língua é usar o comando say. É simples, basta passar a frase

$ say Hello, I am your computer

É possível escolher a voz (homem, mulher, criança etc). A lista completa de vozes disponíveis está nas Preferências do Sistema → Fala → Vocalização de texto:

$ say -v Junior Hello, I am your computer

Outras opções úteis são a de gravar a fala em um arquivo AIFF, ler o texto de um arquivo e falar o que vier pela STDIN:

$ say -o fala.aiff Hello, I am your computer

$ say -f /etc/motd

$ echo say it | say

É uma boa opção para scripts, ao invés de mostrar a mensagem na tela, fale-a!

39. Acesso rápido ao /Applications

Arraste a pasta /Applications para o Dock, ao lado da lixeira. Será criado um atalho que se clicado com o botão esquerdo, abrirá a pasta no Finder. Se clicado com o botão direito, mostrará um menu com os aplicativos, prontos para serem disparados. Algo como um "botão Iniciar", para quem gosta :)

40. Como criar arquivos PDF

Basta mandar imprimir o arquivo e clicar em "Salvar como PDF". É tão simples que às vezes passa despercebido.

41. O formato do "pacote"

A principal diferença conceitual do Mac enquanto Unix é a forma de criação e instalação de pacotes. A grande maioria dos softwares é compilada semi-estaticamente, ou inclui as bibliotecas de que necessita, o que evita árvores de dependências, tão comuns (e chatas) no Linux.

Cada aplicativo é na verdade uma pasta com estrutura bem-definida; o executável "real" está muito bem escondido dentro dessa estrutura, e você quase nunca precisa chamá-lo diretamente. Se quiser ver exatamente como é a estrutura de um aplicativo, clique com o botão direito em seu ícone e escolha "Mostrar Conteúdo do Pacote".

42. O Finder não mostra o /etc

As pastas /etc, /usr e /dev são invisíveis no Finder, assim como todos os arquivos ocultos (iniciados por ponto). Para acessá-las use Shift-Command-G (Ir → Ir para Pasta) e digite o PATH completo. Se quiser desligar essa funcionalidade, fazendo com que todos os arquivos sejam mostrados sempre, faça:

$ open ~/Library/Preferences/com.apple.finder.plist

O Property List Editor será aberto com as suas preferências do Finder. Clique no triângulo Root, depois clique na primeira linha que aparecerá logo baixo, clique no botão New Sibling e crie uma entrada nova com: AppleShowAllFiles, boolean, Yes. Salve e reinicie o Finder (Command-Option-Esc).

43. Como montar e desmontar uma imagem (DMG ou ISO) pelo terminal?

Use o comando hdiutil para montar a imagem e desmontar (note que é uNmount) o volume montado.

$ hdiutil mount ~/Desktop/Arquivo.dmg
$ hdiutil mount ~/Desktop/Arquivo.iso
$ hdiutil unmount /Volumes/Arquivo

44. Como reparar as permissões do disco pelo terminal?

Para quem instala muitos aplicativos de terceiros em seu Mac, de tempos em tempos é aconselhável abrir o Utilitário de Disco (/Applications/Utilities/Disk Utility.app) e rodar o "Reparar Permissões do Disco".

Isso irá corrigir eventuais problemas causados por instaladores mal configurados, que mudam as características (permissões) de arquivos importantes do sistema.

Para não precisar abrir o programa e apertar o botão, também é possível executar essa ação diretamente na linha de comando:

sudo diskutil repairpermissions /

45. Como liberar espaço em disco? O que posso apagar?

A instalação de fábrica do Mac OS X traz vários gigas ocupados em seu HD. O que mais pesa é multimídia e documentação. Seguem algumas dicas do que pode ser apagado para liberar espaço.

  • Para descobrir quem são os vilões comedores de disco, use o What Size, que mostra quanto de espaço cada pasta ocupa, mostrando os maiores primeiro.
  • O Garage Band é um monstro, se não usa, pode desinstalá-lo e economizar gigas. Além do /Applications, também tem rastros dele em /Library/Application Support/GarageBand.
  • Idem para o iDVD e seus templates pesados.
  • Use o iPhoto Diet para liberar o espaço ocupado por fotos duplicadas, becapes, edições... Quem tem muitas fotos vai ganhar bastante espaço.
  • Caso não use aplicativos antigos, pode remover o suporte ao Classic.
  • Remova o suporte a outros idiomas do sistema (economizei 1.25GB só nessa). Tem dois aplicativos que fazem isso, o Monolingual e o DeLocalizer.
  • Remova os drivers de impressora não utilizados (são quase 2GB!)
  • Instale o Appzapper para remover programas. Ele localiza todos os arquivos que os programas espalharam pelo sistema. Há também um relatório com os programas menos usados e o espaço total ocupado por eles.

Ah, outra coisa básica é reiniciar o sistema :) O /var/vm vai crescendo, crescendo... Não deveria, mas alguns arquivos ali não são liberados e rapidinho ele fica com 1GB se usar programas pesados. NÃO APAGUE estes arquivos na mão. Reinicie o sistema e eles vão embora.

46. Como internacionalizar/traduzir um aplicativo? (i18n)

Não tem potfiles, não tem gettext. Seus pesadelos acabaram!

Basta traduzir as frases em um arquivo texto e traduzir itens da interface direto no Interface Builder. Ok, isso não é tão simples quanto parece.

Nada tema, o Julio Cesar Silva dos Santos escreveu um excelente artigo ensinando passo a passo como funciona a localização e tradução de aplicativos no Mac.

47. Xcode

  • Se estiver usando Tiger, baixe o Xcode 2.x e use o leiaute de janelas tudo em 1
  • Perfis de compilação: tu podes definir 1 ou mais perfis com parâmetros de compilação diferentes, os que vêm por padrão são:
    • Development: vem com opções de debug, 0 de otimização e uns truques pra linkar mais rápido
    • Deployment: com otimização, sem debug symbols, linkagem definitiva
  • Para adicionar bibliotecas à lista de dependências, vai pra /usr/lib (ou /System/Library/Frameworks) no Finder e faz drag&drop
  • Cuide para que os arquivos no teu projeto estejam com paths relativos (selecione o arquivo e tecle Command-i). Se não, quando fores distribuir os fontes (se for o caso), ninguém vai conseguir compilar.
  • Para adicionar classes tuas no Interface Builder (IB), arraste o header com a declaração e largue-o na janela de projeto do IB. Assim, tu podes instanciar as classes usadas pela interface direto no IB e conectar todas as mensagens/conexões graficamente.

48. Sou mega 13370 e quero usar só modo texto (init 1, single)

Durante o boot, mantenha pressionadas as teclas Command-S. Para sair, digite reboot.

49. Diquinhas

  • Ao alternar entre aplicativos (Command-Tab), se apertar Q fecha o aplicativo selecionado
  • Segure o Shift e gire a rodinha (scroll wheel) do mouse. Scroll horizontal!
  • Apertar a barra de espaço também faz PageDown em alguns aplicativos como o Safari. Shift-espaço para voltar.
  • No Finder, para abrir um arquivo ou pasta pelo teclado, digite Command-O (letra ó, de Open) ou Command-Seta para baixo.
  • Clique na Mesa (Desktop) e aperte Command-J para configurá-la. Deixe os ícones organizados por Data de Modificação. Assim fica fácil identificar as novidades, que estarão sempre no lado direito da tela.
  • Quando estiver arrastando algo (um arquivo, uma foto), pode usar tranqüilamente o F9 ou o Command-Tab para escolher em qual aplicativo largá-lo.
  • Na Agenda, selecione um cartão e segure a tecla Option. Todos os grupos aos quais este cartão pertence ficarão em destaque.

50. Você não pode morrer sem...

  • Criar um segundo usuário, ativar a troca de usuário, usá-la e ver o cubo girando.
  • Configurar o Dock para usar o "Efeito Gênio" e segurar o Shift ao apertar o botão amarelo da janela (minimizar).
  • Configurar o Dock para tamanho pequeno e ampliação máxima, enchê-lo de ícones e arrastar o cursor sobre ele. Vaaaai. E vooooooolta. Vaaaaaai...
  • Disparar uns 5 vídeos diferentes (open *.mpg), apertar F10 (Exposé do aplicativo) e ver e ouvir todos simultaneamente.
  • Apertar freneticamente o F9 (Exposé) para ver a dança dos pixels, quando estiver com duzentas e quarenta e sete janelas abertas.
  • Brincar de Zoom. Option-Command-8 liga, Option-Command-= aproxima e Option-Command-- afasta. Ah, tem também o Command-Option-Control-8 que é legal.
  • Brincar de Zoom - O Retorno. Mais fácil ainda, segure o Control e gire a rodinha do mouse.
  • Fazer o descanso de tela (Screen Saver) rodar na sua mesa (Desktop), enquanto você trabalha:
    nice -n +20 /System/Library/Frameworks/ScreenSaver.framework/Versions/A/Resources/ScreenSaverEngine.app/Contents/MacOS/ScreenSaverEngine -background
    
  • Instalar o port do Gimp que roda no X11, abrir umas 5 fotos nele e após tentar utilizá-lo por 15 minutos, perceber como você é feliz.
  • ;)
— EOF —

Gostou desse texto? Aqui tem mais.

comments powered by Disqus