Tenho uma tatuagem de raiz no meu pé esquerdo. Aqui estão as fotos que tirei enquanto ela estava sendo feita, um processo que durou 6 meses. Demorou porque entre cada sessão de pintura, tive que esperar o pé cicatrizar para tocar a agulha novamente.

O tatuador foi o mestre Pica-Pau, cara que manjava muito e cobrava preços camaradas. Infelizmente ele foi assassinado em seu atelier e Curitiba perdeu um grande artista. Com ele também fiz minha tatuagem das costas, que é uma garra (foto adiante).

DICA: Clique nas fotinhas para vê-las maiores.

1ª sessão, 27abr1999, 23h00-00h30, Contorno

2ª sessão, 05mai1999, 00h00-02h30, Sombreado

3ª sessão, 23jun1999, 22h00-00h30, Pintar 1ª mão

4ª sessão, 03ago1999, 15h00-18h30, Pintar 2ª mão

Sem foto &:(

5ª sessão, 07out1999, 22h15-23h45, Acabamento

6 anos depois, em 2005

Garra nas Costas

A minha primeira tatuagem também fiz com o Pica-Pau, é uma garra de monstro saindo das costas, representando a agressividade reprimida que se revela nos raros momentos de descontrole.

Pica-Pau Assassinado

Mataram o Pica-Pau às 3 da tarde, dentro de seu atelier, trabalhando, dentro de um shopping...

A lenda mais difundida é que foi o pai de um aluno mané do CEFET que era um drogado imbecil e disse para o pai que foi o Pica-Pau quem lhe vendeu a droga. O pai foi até lá e atirou. Droga é palha.

Esse entra pra lista dos crimes banais que levam pessoas MUITO legais embora. Além das tatuagens, uma galera sente muita falta do camarada Pica-Pau.