Parto prematuro

O nascimento estava previsto para o meio do mês, mas como (inacreditavelmente) a gráfica entregou tudo antes do prazo, quando fui perceber, o bebê já escapuliu :)

Com bits velozes e furiosos trafegando pelos cabos óticos, o ontem já é passado e hoje o livro Shell Script Profissional já está à venda no site da editora e em várias livrarias.

Capa livro Shell Script Profissional Shell Script Profissional
por Aurélio Marinho Jargas

Foram 360 horas de trabalho em quase dois anos. NeoOffice em tela cheia fritando os olhos, dores nas costas e ponta dos dedos, várias noites de trabalho que acabaram com o sol aparecendo no horizonte. Como é ruim ir dormir quando todos estão acordando, e pior: saber que ainda falta muito para o trabalho terminar.

Várias vezes pensei em desistir. O que era para ser um livro de “umas 200 páginas” estava crescendo, crescendo e eu ainda estava longe de onde queria chegar. Duvidei que um dia isso teria fim. Mas com o lema “é agora ou nunca” fixo na cabeça e uma namorada que caiu do céu me incentivando diariamente, continuei.

Outubro e Novembro de 2007 foram meses intensos, que contaram com dias insanos de mais de 10 horas escrevendo direto. Os assuntos eram densos e era preciso atenção máxima para não perder o fio da meada. Prometi a mim mesmo não fazer isso de novo. Ficar 10 horas pedalando cansa menos.

No início de Dezembro salvei o documento enorme (2,4 MB) pela última vez. Foram tantas as vezes que tinha feito aquilo nos últimos meses, que nem acreditava que aquela seria a última. Esperei ansiosamente ele terminar e imediatamente enviei o arquivo para a editora. E nunca mais o abri.

Terminada a fase de escrita, começou a parte chata que é revisar, revisar e revisar. Foram muitos PDFs trocados. A editora mandava a versão mais atualizada e eu conferia tudo, procurando problemas no texto, nas tabelas, nas figuras, no alinhamento, nos códigos. Sou detalhista e perfeccionista, gosto de ficar procurando as mínimas falhas, mas quando se trata de um livrão de 480 páginas, com conteúdo técnico e avançado… Dava vontade de chorar.

Mesmo com dezenas de correções aplicadas (aliás, acho que posso dizer “centenas” sem remorso), achei prudente fazer uma última revisão impressa no papel. O editor concordou, então recebi pelo correio uma caixa pesada com uma resma completa. E lá fui eu pela N-ésima vez ler meu livro, agora com atenção máxima. É incrível como no papel saltam à vista os erros mais sutis, que ficam escondidos entre os pixels do monitor. A caneta fez muitos rabiscos, consegui pegar dezenas de erratas antes que os leitores as encontrassem. Agora sim, o miolo do livro estava oficialmente revisado.

Direto do monte Sinai, os 480 mandamentos do shell

Paralelo a esta revisão teve o processo de criação da capa, que foi uma novela à parte. Foram meses de troca de idéias e protótipos, mas nada me agradava. Eu já disse que sou chato? Pois é, sou. Investi muito tempo de minha vida para escrever o livro e não aceitaria nada menos que uma capa perfeita para embalá-lo.

A Mog me agüentou várias vezes lamentando nas livrarias, olhando capas lindas de outros livros (não técnicos) e dizendo que a minha nunca seria daquele jeito, que eu seria o patinho feio da turminha :)

Quem trouxe a luz para dissolver as trevas foi meu amigo-irmão Rodrigo Stulzer, que lembrou-se do Alex Lutkus, ilustrador da finada Revista do Linux, que fazia aquelas capas modernosas. Expliquei o que eu queria e conversamos muito para amadurecer a idéia, antes de fazer qualquer traço vetorizado. Quando chegamos na idéia do “uma concha afundando um código, numa capa preta”, a primeira proposta já me agradou muito. Mais umas semanas e chegamos na concha amarelo-ouro, que pra mim, atingiu o objetivo tido como impossível: a capa perfeita. O sorriso tomou conta.

Ainda houveram estresses na contra-capa que estava difícil de ficar “perfeita” (sim, sou chato), arquivos incompatíveis entre Mac e Windows, minúcias nas decisões da diagramação interna, prazos apertados por causa da fila da gráfica e o FISL se aproximando, o marca-páginas que atrasou, …

Mas do que eu estava falando mesmo? Ah, eu vim aqui só para dizer que o livro já está à venda.

Nem era para contar história nenhuma. Mas engatei a marcha e não parei de acelerar. Engraçado escrever um texto assim, sem ficar lambendo cada parágrafo como eu sempre faço, esse saiu de uma vez, sem backspace. Como diriam os Imbecis Podres e Sujos, esse foi Full Speed Ahead.

O preço oficial é R$ 85,00. Tem um desconto especial de lançamento, que baixa o preço em 20%, ficando R$ 68,00. Tem um desconto mais especial ainda de 30%, mas esse é só para quem já tem o livro do piazinho, que vai pagar somente R$ 59,50.

Vamos às instruções:

  • O site oficial do livro é o www.shellscript.com.br. É lá que eu vou colocar todas as informações sobre a obra, links diretos para livrarias, comparativos com a minha apostila e com o livro do Julio (que sei que você está curioso) e o que mais couber. Conte para seus amiguinhos! É tão facinho de lembrar: www.shellscript.com.br.
  • Visite o site do livro, que você já sabe que é www.shellscript.com.br, e siga as instruções de como comprar usando o código de desconto de 20%. Mas não deixe a inércia te vencer, o código só é válido até o fim do mês, então não demore.
  • Se você já tem o livro Expressões Regulares, preencha o cadastro do leitor (que fiz ontem, ficou tãããão bonitinho) para ter acesso ao código especial de 30% de desconto. Pegue o livro na mão e responda quatro perguntinhas básicas sobre ele para ganhar o código. Tipo um joguinho :) Daí usa o mesmo procedimento de compra do item anterior.
  • Se você não tem o livro do piazinho, aliás, é uma boa oportunidade para comprar os dois de uma vez, pois o código de desconto vale para a compra e não para o livro especificamente. Então você leva os dois com o corte de 20%. Pensando bem, se você quiser comprar só o Expressões Regulares com esse código, também dá :)

Instruções resumidas para os nerds sabidinhos:

— EOF —

Gostou desse texto? Aqui tem mais.

comments powered by Disqus