13 anos de Funções ZZ

— Deixa ver… A primeira versão é do dia 22/02/2000.
— Dois mil?
— É.
— Ah, pára.
— Sério!
— Caraca… 13 anos? Tá certa essa data?
— Pior que tá.
— Mas nem faz tanto tempo assim!
— Pois é, nem parece…
— Credo, sou oficialmente um VELHO.
— Concordo!
— Ei!
— :P

Se há 13 anos atrás, no dia em que criei as Funções ZZ, eu soubesse que iria trabalhar naquelas singelas funções durante mais de uma década, eu acho que teria apagado o arquivo :)

Mas felizmente eu não sabia, e de grão em grão, aos trancos e barrancos, eis que todos esses anos passaram e eu ainda estou aqui. Mudei de sistema operacional (Linux → Mac), mudei de editor de textos (Vim → TextMate) e mudei de cidade (Curitiba → Florianópolis → Matinhos → Joinville), mas continuo programando as ZZ.

E sabe que não enjoa?

Talvez por ter tantas funções diferentes, com finalidades e algoritmos diferentes. Sempre tem algo novo para testar, arrumar, melhorar, criar. É um trabalho infinito, mas felizmente, não é repetitivo.

Um ponto marcante na vida das ZZ foi a grande reforma em 2008, quando trabalhei durante meses para conseguir limpar e organizar todo o código-fonte, que até então era indecifrável (até pra mim!). Desde então não tive mais “medo” do código, agora ele está claro, comentado e simples de entender. Ficou tão didático que até entrou no meu livro.

Mais recentemente, a novidade do GitHub tornou a programação mais social e divertida. Parece besta, mas faz toda a diferença ele ser um site bonito e moderno, com fotinhos e comentários em todos os cantos. A programação, tarefa primordialmente solitária e que exige muita concentração, ganhou um toque de humanidade.

Tem também os colaboradores: outros programadores que criam, testam e alteram funções, tornando o conjunto algo muito melhor do que eu faria sozinho. É curioso perceber que eles também mudam com o tempo. Pessoas que eram bem ativas no projeto há sei lá, oito anos atrás, hoje não estão mais lá. Prioridades e gostos mudam, tudo muda. Mas felizmente há uma renovação, e na mesma medida que os veteranos perdem o interesse, há novatos cheios de vontade que aparecem e acabam ficando. E assim vamos, sem pressa, tocando o barco.

Durante cinco anos (2002-2006) contei com a ajuda do Thobias, super parceiro de programação que foi coautor das funções. Juntos (porém remotamente) programamos muitas, muitas, mas MUUUUUUITAS horas para manter o projeto ativo. E tudo nas horas livres, de noite, quando dava. Sem ganhar um tostão. Gostei muito da experiência de parceria, pois é importante um incentivar quando o outro desanima. O Thobias conseguiu se desnerdizar, já eu… FAIL.

Esse lance de “13 anos” me fez pensar: o que me faz continuar?

Invisto MUITO tempo (estou trabalhando direto há 7 dias, fim de semana inclusive, para fechar a versão nova das ZZ) e não ganho um tostão com isso. Não é aí que está o motivador, não é grana. Mas então o que é?

Não tem uma resposta simples. É tudo isso que acabei de contar. Também é o prazer de trabalhar em sua própria criação, o prazer de programar, os usuários que dão retorno positivo, não deixar o projeto morrer… São vários fatores, pequenos incentivos aqui e ali que juntos têm força suficiente para manter as peças no lugar. E assim a máquina segue em frente, um passo de cada vez.

E por falar em seguir em frente…

Novidade! — Site novo das Funções ZZ, lotado de exemplos

Novidade! — Versão nova 13.2, comemorativa dos 13 anos, com 33 funções novas! [download, changelog]

:)

— EOF —

Gostou desse texto? Aqui tem mais.

comments powered by Disqus