Não sei fazer barquinho de papel

Triste constatação.
Foi ontem, no mercado Angeloni, em Joinville.
Gostamos muito dos sanduíches do Subway e fomos comer um.
Eu e a Mog.

O Subway fica dentro do mercado.
Já no balcão, vi que mudaram finalmente o frango.
Agora é um filézinho grelhado (ou algo parecido).
Antes eram umas tirinhas toscas e sem gosto.
Pedi o frango “novo” para experimentar.

Aliás, pedir algo no Subway é extremamente nerd.
Você não chega e diz “quero um X-frango”.
É preciso fazer um subway.conf antes.
Ainda bem que a atendente é um wizard interativo.
Mas ela não gosta de voltar ao passo anterior.
E a fila tem que andar.
Você precisa tomar decisões importantes:
— Qual o tipo do pão?
— Dá esse com queijo em cima.
— Inteiro ou metade?
— Metade.
— Qual carne?
— Frango.
— Bacon? Algum adicional?
— Não.
(o pré-sanduíche vai pro forno por alguns segundos)
— Pepino?
— Coloca tudo menos pimentão.
— [Mog] Mas você não gosta de azeitona preta.
— Mas hoje eu quero.
— [Mog] Eu não vou comer, pede só pra você.
— Mas eu tou com vontade! (segurando o riso)
(odeio azeitona preta, mas a Mog adora)
(e CLARO que ela ia roubar pedaços do meu sanduíche)
(ela sempre faz isso)
(é legal)
— [Mog] Moça, não põe azeitona.
— Não, põe sim!
(atendente espera com cara de impaciente)
— Põe ou não?
— Põe.
— [Mog] Ai guri…
— Azeite?
— Não.
— Mostarda? Maionese?
— Um pouco de mostarda.
— Algum molho? Barbiquiu, …, …, …
(quando ela falou barbiquiu não ouvi mais nada)
(lembrei do Bob’s Grill, que tem esse molho, delícia)
— É, barbiquiu.

Talvez eu tenha esquecido algum passo do processo.
Mas viu como é “simples” pedir um sanduíche?
Nota mental: fazer um programinha para isso.
zzsubway.

O cara que estava na minha frente na fila, virou-se.
“Oi Aurélio!”
?
Passei um segundo e meio vasculhando a memória.
File not found.
“Oi. Desculpe mas eu não me lembro de você”

Ele apresentou-se: Felipe Nogaroto.
Lembrei do sobrenome.
Já tínhamos trocado e-mails sobre Funções ZZ e Mac.
Ele também é leitor aqui do blog.
Felipe, diga oi para o pessoal!
Baita coincidência em um domingo de ruas vazias.
Tiramos uma foto com o iPhone dele.
Foi a primeira vez que vi um iPhone.
Muito massa.
Mesmo.

É sempre um evento conhecer ao vivo um amigo virtual.
A Mog fica indignada de existirem amigos virtuais.
Eu conto uma história e falo de um grande amigo.
Ela pergunta: “Você já viu ele?”
“Não.”
“Ai Aurélio, que estranho isso!”

Mas tá.
Sentamos na mesa e comemos.
CLARO que a Mog roubou pedaços do meu sanduíche.
Como sempre.

Depois do lanche a Mog começou a dobrar um papel.
Segundos depois ela tinha um barquinho na mão.
Zás!barquinho de papel
Isso!
Daí você pega o papel
E dobra ele
E puxa
E dobra de novo
E zás!
Também quero também quero!
Fiquei empolgadíssimo.

Aqui a história começar a ficar triste.

Não consegui lembrar a última vez que tinha feito um desses.
Mais de 10 anos, com certeza.
Bem mais.
Xiii, melhor nem fazer as contas.

Ainda muito empolgado peguei um guardanapo e comecei.
Tem que ser quadrado ou retangular?
Não lembro…
Sei lá, deixa eu dobrar aqui.
Agora aqui.
Não.
Péra.
(Mog em silêncio, com um risinho maroto)
Acho que é assim.
Tá.
Tá indo, tá indo.
Calma.
Agora essa ponta aqui…
Não, nada a ver.
Deixa eu ver teu barquinho mais de perto.
(droga, não tou entendendo)
(nem roubando vou conseguir?)
Desdobra tudo.
Começa de novo.
Dobra, dobra.
Mog desdobra tudo balançando a cabeça.
Droga!
Não tem uma criança por perto pra me passar cola?
Raios!
Raios duplos!

Tá, desisto.
Meu orgulho nerd foi ferido em seu âmago.
Eu sei programar o computador.
Eu sei escrever um livro.
Eu sei dirigir um carro.
Eu sei até tocar bateria.
Mas não sei fazer uma porcaria de barquinho de papel.
Barquinho idiota.
Queria ter um isqueiro agora…

A Mog gargalhou.

Pacientemente ela me ensinou como dobrar.
Com sua ajuda fiz meu barquinho torto e capenga.
O prêmio de consolação…

Isso faz pensar.
Essa vida é muito engraçada mesmo.
Um simples barquinho idiota.
Fui da empolgação à frustração em poucos segundos.
Perdi para qualquer qualquer criança da pré-escola.
Mesmo olhando o barquinho da Mog pronto na minha frente.
Mesmo já tendo feito dezenas desses barquinhos na infância.

É.
Não se fazem mais nerds como antigamente.

Mas tudo bem.
Vivendo e aprendendo.
Pelo menos agora não esqueço mais:
Faça Você Mesmo – Como fazer um barquinho de papel
;)

Ah sim, o frango novo é bom.

Atualização em 20 de Maio de 2008: Eu juro que tentei, mas não resisti à tentação de fazer a zzsubway. Use quando estiver saindo para o almoço ou lanche, ela vai te dar uma sugestão do que pedir no Subway. Se não gostar, basta recarregar a página para ter outra sugestão fresquinha :) Experimente!

— EOF —

Gostou desse texto? Aqui tem mais.

comments powered by Disqus