Mudei do iOS pro Android e estou feliz

Sou usuário do iOS desde 2010 e nunca tinha nem experimentado um Android. Decidi fazer a mudança e há 5 meses troquei meu iPhone 5 por um Moto X.

Eu estava feliz com meu iPhone e com o iOS. Depois de anos usando o sistema da Apple diariamente, eu já o dominava e estava bem à vontade. Comprei dezenas de aplicativos, acompanhava as notícias e curtia a integração com meu Mac, iPad e Apple TV.

Mas se estava feliz, então pra que mudar?

Curiosidade em conhecer o Android eu sempre tive, mas nunca fui atrás. Porém, ultimamente comecei a ficar incomodado por ser totalmente leigo em outros sistemas. No desktop eu conheço bem o Mac, Linux e Windows, nas no mobile eu estava isolado no iOS. Isso não é bom para um profissional de informática.

O empurrão que faltava para eu fazer a mudança foi o anúncio dos preços abusivos do novo iPhone 5s aqui no Brasil. Hora de experimentar a concorrência.

Perguntei no Twitter qual telefone eu deveria comprar e me indicaram o Moto X. Paguei menos da metade do preço de um iPhone novo, só isso já me deixou bem feliz.

Migração de apps e dados

A migração de apps e dados foi tranquila, pois mesmo no iOS eu já usava os aplicativos do Google: Chrome, Gmail, Maps, Drive e tudo mais. Bastou logar-me e estava tudo lá (viva a nuvem!). Só o que deu um certo trabalho foram os contatos e os calendários, que estavam no iCloud e tive que migrar pro Google.

Meus arquivos estão todos no Dropbox: documentos, fotos, vídeos, livros, sites, arquivos de trabalho, etc. Instalei o app oficial e pronto, acesso total aos meus arquivos. Ativei a sincronização automática para as fotos tiradas com a câmera do celular e também instalei o DropSync, que mantém sincronizada uma cópia local dos arquivos.

Os aplicativos de terceiros que eu usava mais frequentemente no iOS também possuem versão para Android, como Twitter, Waze, Duolingo, Feedly e Plant Nanny. Mais uma vez, bastou instalar, pois os dados estão na nuvem.

Precisei achar um substituto para o app Notas, nativo do iOS, que eu usava intensivamente para tarefas e lembretes. No Android conheci o Google Keep e estou satisfeito. E de bônus ele tem um widget que mostra minhas anotações mais recentes na tela inicial.

Também tenho uma pasta no Dropbox com centenas de arquivos TXT com anotações de ideias, tarefas e rascunhos que edito usando o nvALT no Mac e o WriteRoom no iOS. Mas no Android, não achei nenhum editor de textos simples que me deixasse feliz. Hoje quebro um galho com o Jota+, mas não gosto dele.

O que não consegui migrar foram os jogos e seus dados :( Meus anos de placares, conquistas e savegames ficaram lá no Game Center e no iCloud. No Android é usado outro sistema e comecei com tudo zerado. Por ora, continuo jogando os jogos antigos no iPad e no Android eu só brinco com os novos.

Após 5 meses de uso…

Adoro poder falar em português (ou inglês, ou ambos na mesma frase) e o telefone conseguir me entender, seja para executar comandos (Google Now) ou para transcrever o texto (correta e instantaneamente, mesmo quando está offline). É mágico. O reconhecimento de voz do Google é imbatível e está disponível na tela inicial e no teclado padrão do sistema. Me poupa a digitação de mensagens e anotações rápidas. Vai ficar melhor ainda quando ele também inserir a pontuação.

Um botão dedicado a alternar entre apps faz toda a diferença. No iPhone tem que pressionar duas vezes o botão Home (botão físico), no Moto X basta tocar no botão de alternar (botão virtual). Parece besta, mas agiliza muito para quem, como eu, alterna muito entre apps: basta tocar na tela em vez de fazer o click-click toda vez (que às vezes falha).

O Android tem um botão específico para voltar à tela anterior. Ele está sempre lá, no mesmo lugar. Achei bem prático, embora os anos de iOS condicionaram meu cérebro a sempre procurar na tela pelo botão Voltar dentro do aplicativo. Ainda não consegui me livrar desse vício.

Sempre ouvi falar em como as notificações do Android eram superiores às do iOS, mas eu não tinha ideia. Realmente, não dá pra comparar. Meu uso do telefone hoje gira em torno das notificações, são o início de tudo, são lembretes, são indicadores de progresso. Tudo o que acontece no sistema passa pelas notificações.

Em alguns aplicativos que eu já estava bem acostumado a usar, como o Dropbox e o Duolingo, me surpreendi ao ver que a versão para Android tem mais funcionalidades do que a versão para iOS. Tá, isso é meio óbvio já que a Apple é a rainha das limitações, mas eu não esperava.

Hoje já me acostumei, mas lembro que no início foi estranho entrar na loja (Play Store) e ver os ícones toscos e apps com interface “feita por programador”. Na loja da Apple é tudo mais polido e bonito.

Ainda sobre a loja, até hoje me surpreendo como há muitos aplicativos simples com permissões abusivas. Parece haver todo um “submundo” de criar aplicativos gratuitos que na verdade são armadilhas para ter acesso aos dados do usuário. Aplicativos de lanterna são um bom exemplo.

Recomendo o Moto X. Gostei bastante do aparelho, é bem resistente (já deixei cair algumas vezes) e o preço é bom. Minhas únicas pequenas reclamações são o fundo arredondado (que impede o uso do telefone apoiado na mesa) e o plug do fone de ouvido ser na parte superior em vez da inferior.

Conclusão

Quem vive isolado no mundo Apple tem uma má impressão do Android que é totalmente descabida, ou que era realidade anos atrás, nas primeiras versões do sistema. O que encontrei foi um sistema maduro, estável e muito responsivo.

Minha opinião poderia ser diferente se eu tivesse comprado um telefone mais barato, genérico, de baixa qualidade. Mas aí não é culpa do Android.

E qual é o melhor, Android ou iOS? Ambos.

Android e iOS têm suas características distintas, mas no geral, no uso do dia a dia, é tudo a mesma coisa. Os principais aplicativos estão em ambos, os dados estão na nuvem e os dois sistemas são fáceis e simples de usar.

Atualização em 2014-10-18: Se você se interessou pelo assunto, indico mais dois relatos similares: o do Lucas Caton com bastante detalhes e fotos e o do Paul Stamatiou que num longo artigo conclui que o Android é melhor.

— EOF —

Gostou desse texto? Aqui tem mais.

comments powered by Disqus