Jovem, revoltado e inocente

Esse vídeo me emociona cada vez que o vejo:

Do you remember when you were young and you wanted to set the world on fire?

A atuação não é 100% realista e não há história. Mas a música e pontos-chave do clipe me tocam profundamente.

  • O povo revoltado com a agressão, mas que não faz nada para impedi-la. Inércia. Passividade.
  • O outro indivíduo que resolve agir, sozinho, para ajudar um estranho que está sendo espancado.
  • O uso desproporcional da força policial. O sistema contra o indivíduo.
  • A não reação do perseguido, que simplesmente foge, mas não revida a violência.
  • E a melhor parte: o sorriso no final. Como quem diz: Eu ganhei. Valeu a pena. Consegui. Não importa se ele está realmente certo ou não, ele acha que está, e isso é o que importa.

Esse vídeo me traz muitas lembranças de quando era adolescente, estudava no CEFET e frequentava shows punks. Nunca fui anarquista, nem punk, apesar de ter usado roupas rasgadas e cabelo verde durante anos e ter tocado em bandas de hardcore. Nunca bebi nem me droguei. Já fui agredido em uma batida policial com chutes no saco e na perna e tapões na nuca. Eu costumava desprezar autoridades e convenções sociais. Eu costumava ser mais contestador do que sou hoje. Eu era um adolescente revoltado e inocente, que também achava que mudaria o mundo.

Mas quer saber, não me arrependo. Faz parte.

E ainda quero mudar o mundo :)

— EOF —

Gostou desse texto? Aqui tem mais.

comments powered by Disqus