Idiomas que estudo

Idiomas que estudo

Gosto muito de estudar idiomas. Acho divertido aprender os sons, as palavras, as peculiaridades, e no processo, aprender um pouco sobre a cultura daquele povo.

Gosto também de estudar sozinho em vez de fazer cursos em escolas de idioma. Eu me divirto mais assim, pois vou seguindo livremente, estudando somente quando estou com vontade, e da maneira que achar melhor.

Tem também a satisfação besta de ter conseguido sozinho :)

Aprendo por prazer. Não há um objetivo maior, algo a ser alcançado. Eu curto o aprendizado, o processo.

Minhas ferramentas preferidas são:

  • Duolingo: É tipo um joguinho de aprender idiomas, 100% gratuito. Aulas curtas e rápidas, pra fazer em menos de 5 minutos. Não ensina gramática, mas te repete as palavras e frases até que você as memorize e pegue o "jeitão" do idioma. A ideia é que você pratique um pouco todos os dias. Ganha dinheirinho virtual por completar as lições e por assiduidade, e gasta esse dinheiro pra fazer testes ou liberar funcionalidades. Tem também todo um esquema de ter amigos (e competir com eles), pontuação por experiência (XP), número de dias sem parar (streak)... Tudo pra te manter motivado a continuar estudando. Saiba mais em www.duolingo.com. Se quiser me adicionar, meu perfil é https://www.duolingo.com/aureliojargas.

  • Música: Adoro música, sou baterista, já toquei em várias bandas de punkrock/hardcore. Minha maneira preferida de aprender a pronúncia e algumas frases-chave, é encontrar bandas boas de punkrock que cantam no idioma e ouvir as músicas sem parar, por semanas a fio (sem ler as letras). Quando estou bem acostumado com as músicas e chego no ponto de já conseguir cantar trechos no "embromation", começo a estudar as letras das músicas: descobrir as palavras, traduzir, conhecer o sentido. Então começo a cantar as músicas usando as palavras corretas, e assim estas frases ficam bem fixas na memória. Ouvir estas músicas é um prazer (pelo som) e um reforço nos estudos. Assino o Google Play Music, então tenho à disposição um enorme catálogo global de bandas.

  • Podcasts: Podcasts são como programas de rádio, que você baixa e ouve quando quiser/puder. É gratuito e tem sobre diversos assuntos, em diversos idiomas. No início dos estudos do idioma, gosto de ouvir podcasts de notícias (mais fácil identificar palavras conhecidas como nomes de pessoas e lugares, que ajudam a dar um contexto) e podcasts de aprendizado do idioma. Depois quando já compreendo um pouco do que estão falando, ouço programas de entrevistas ou bate-papo sobre tecnologia, que é um assunto que tenho grande interesse. Acho podcast uma mídia fantástica, escuto diarimante há vários anos e me ajuda muito com a pronúncia e com o entendimento da língua falada, além de adquirir conhecimento sobre assuntos de interesse ao mesmo tempo.

Estas ferramentas podem ser usadas no computador e no celular. Dá pra estudar o idioma em qualquer hora/lugar, sem que isso atrapalhe sua rotina. Por exemplo: ouvir música durante o trabalho, ouvir podcast enquanto lava a louça ou vai pro trabalho, e fazer uma aula rápida no Duolingo enquanto está numa fila ou no banheiro :)

Inglês

Tive aula de inglês na escola, no primeiro grau. Mas foi bem fraco, só pra aprender o básico do básico. Depois me virei decorando letras de música, jogando jogos em inglês e lendo textos técnicos de informática.

Foi um aprendizado caótico e muito pouco eficiente, não recomendo. Levou muitos anos e foi tudo picado, cheio de lacunas, apenas decorando palavras e frases sem saber as regras gramaticais.

Só com 20 anos de idade, já trabalhando com informática, comecei a ler e escrever diariamente em inglês, pois eu participava de listas de discussão técnicas com gringos, onde o idioma era o inglês. Era um inglês sofrido, macarrônico, tosco, tudo errado. Mas com o passar dos anos foi melhorando e ficando menos vergonhoso. A prática fez eu me aperfeiçoar, e acabei decorando a maioria das regras, por repetição.

Lá pelos 30 anos comecei a ouvir podcasts diariamente, em inglês. Isso ajudou demais na compreensão da fala (listening). Principalmente em podcasts de entrevistas, onde a cada episódio vinha alguém diferente, com sotaque diferente. Depois de anos dessa rotina, fiquei bom em ouvir e entender bem mesmo ouvindo acelerado (1.5x da velocidade normal).

Finalmente aos 40 anos de idade, comecei a falar inglês, pois me mudei pra Alemanha e o inglês é o idioma oficial na empresa. O começo foi bem difícil, destravar na marra, no dia a dia. Vai ficando mais fácil com o tempo, mas ainda tenho um inglês muito simples, cheio de lacunas, que não consigo me expressar exatamente como quero, pela falta de um vocabulário mais sofisticado. Mas tudo bem, a vida segue e vou melhorando aos poucos, devagar e sempre.

Espanhol

Resolvi estudar espanhol por diversão, e por ser o mais fácil pra um brasileiro. Fiz todo o curso do Duolingo, ouvi muito as músicas das bandas que gosto em espanhol, e ouvia diariamente as notícias do Japão em espanhol :)

Tenho uma compreensão boa ao ler e escutar. Falar e escrever sou bem medíocre.

Segue a lista dos recursos que usei nos meus estudos de espanhol e recomendo:

Apps e sites:

  • Duolingo

Música:

  • Attaque 77 (Argentina)
  • Los Mox (Chile)

Podcast:

  • Duolingo Spanish Podcast
  • News in Slow Spanish
  • News in Slow Spanish Latino
  • NHK World Radio Japan - Spanish News

Italiano

Acho tão divertido ouvir o idioma italiano, que decidi estudar. Foi cerca de um ano de estudos, em ritmo bem leve, depois tive que parar pra me dedicar ao alemão. Pretendo voltar a estudar no futuro.

Apps e sites:

  • Duolingo

Música:

  • Finley

Podcast:

  • Coffee Break Italian
  • News in Slow Italian

Alemão

Apps e sites:

Música:

  • Die Ärzte
  • Die Toten Hosen

Podcast:

  • DW - Langsam gesprochene Nachrichten
  • Coffee Break German
— EOF —