Nas suas primeiras versões, o RAC usava apenas endereçamento numérico, indicando diretamente a posição de linhas e colunas, como por exemplo [5] para especificar a quinta coluna. A partir da versão 1.2 também é possível endereçar linhas pelo seu conteúdo, independente de sua posição no texto.

Antes de conhecer as novidades, um resumo rápido dos tipos de endereço conhecidos até então:

ENDEREÇOS NUMÉRICOS

Endereço Tipo Representa
3 Linha A terceira linha
-3 Contagem Reversa A antepenúltima linha
[3] Coluna A terceira coluna
1:3 Trecho Da primeira a terceira linha
1~3 Salto A partir da primeira linha, ande de 3 em 3

Apesar do poder de se especificar endereços complexos, inclusive com trechos e saltos, o endereçamento numérico exige que o usuário saiba de antemão a posição exata do pedaço desejado de texto. Embora suficiente para uma grande variedade de tarefas, esse tipo de endereçamento se torna ineficiente quando se precisa buscar por conteúdo, e não posições.

Buscando por Conteúdo

Ao invés de buscar pela "quinta linha", certas tarefas exigem buscar por linhas que contenham determinada palavra ou frase, não importando a sua posição no texto original. Ou ainda, baseado nesta palavra obter as linhas adjacentes ou um trecho entre duas palavras distintas.

O RAC torna estas tarefas triviais, bastando ao usuário apenas fornecer o endereço desejado. Entre outras possibilidades, o programa pode buscar:

Entre várias outras possibilidades que combinam um texto com a sua contagem de aparições (normal ou reversa) e linhas adjacentes.

O uso é muito simples, basta colocar a palavra ou frase a se buscar entre sinais de igual, =assim=. A contagem de aparições da palavra é especificada usando o asterisco e o contexto usa os sinais de mais e menos.

ENDEREÇOS DE TEXTO

Endereço Tipo Representa
=abc= Texto Todas as linhas que contêm o texto abc
=abc=*3 Ocorrência Terceira linha que contém o texto abc
=abc=+3 Contexto Terceira linha após a que contém o texto abc
=abc=-3 Contexto Terceira linha anterior a que contém o texto abc
Curioso(a) porque o sinal de igual foi utilizado como delimitador? A explicação está no final deste documento.

Fácil de usar, não? Simplesmente colocar uma palavras entre iguais faz com que o RAC retorne todas as linhas do texto que contêm esta palavra. Ela pode estar no início, meio ou final da linha, tanto faz. Este comportamento é idêntico ao comando grep.

Se o desejado não forem todas as ocorrências da palavra mas apenas a primeira, terceira ou a última, basta adicionar um asterisco e informar o número. E mais, números negativos servem para contar à partir do final do texto, então =abc=*-2 retornará a linha com a penúltima aparição de "abc".

Para completar, o contexto serve para obter linhas próximas à linha com a palavra pesquisada, anteriores ou posteriores. Útil quando se tem uma palavra-chave para encontrar, mas o conteúdo desejado está na próxima linha. Exemplo: =Total de gastos=+1 retornará a linha seguinte ao texto informado, toda vez que o ele for encontrado.

Se no exemplo anterior for necessário obter a próxima linha somente da primeira aparição do texto, basta combinar os dois operadores, ficando =Total de gastos=*1+1.

Flexibilidade e Poder

Todos os conceitos dos endereços numéricos e de texto são intercambiáveis, combináveis, misturáveis. Lembre-se do brinquedo LEGO onde combinando formas básicas se obtém estruturas mais complexas.

No RAC é possível misturar endereços numéricos com texto num mesmo comando, produzindo endereços tão complicados e precisos quanto necessário.

ENDEREÇOS MAIS ELABORADOS

Endereço Representa
5:=abc=*1 Trecho da quinta linha até a primeira que conter abc
=abc=[1:10] As dez primeiras colunas das linhas com abc
=abc=*-1:-1 Trecho da última linha com abc até o final do texto
=abc=*5[-9:] As últimas nove colunas da quinta linha com abc
=abc=*-1:=xyz=*-1 Trecho da última linha com abc até a última linha com xyz
=abc=*1~3 A partir da primeira linha com abc, ande de 3 em 3
=abc=*5-2:=abc=*5+2 Quinta ocorrência da linha com abc, com contexto de 2 linhas antes e após

Os Detalhes

Ao usar endereços com texto, algumas dúvidas podem surgir. Aqui vão as respostas para algumas delas:

Maiúsculas/Minúsculas:

Letras maiúsculas e minúsculas são diferentes. Se você pesquisar por LINUX, as linhas que contiverem Linux não serão retornadas.

Dica: Use a opção "-i" para ignorar a diferença entre maiúsculas e minúsculas (opção inclusa na versão 1.3)

Texto, não Expressão Regular

O conteúdo do endereço de texto é texto puro, não é expressão regular. Qualquer texto pode ser colocado sem a preocupação de ser confundido com uma expressão.

Dica: O suporte a expressões regulares foi incluso na versão 1.3, usando a barra / como delimitador. Saiba mais...

Escapes

Para inserir um sinal de igual literal no texto, é preciso "escapá-lo", precedendo-o com uma barra \. Exemplo: =2+2\=4=. Há outros "escapes" reconhecidos pelo RAC, segue a lista completa:
\t Tabulação (TAB)
\= Um sinal de igual literal
\\ Uma barra \ literal

A Pergunta Que Não Quer Calar - Parte 1

- Mas por que ter um delimitador só para texto? Por que não usar Expressões Regulares de uma vez?

Resposta curta:
O RAC também funciona com Expressões Regulares, usando a barra "/" como delimitador. Tendo dois operadores diferentes para texto e expressões, o usuário ganha em flexibilidade.

Resposta longa:
Diferente de outras ferramentas como o SED que procura apenas por expressões regulares, o RAC tem um operador para procurar por texto normal e outro para as expressões. Essa diferenciação é necessária para que o usuário tenha total flexibilidade de informar "o quê" está procurando.

Para se procurar por um número IP entre colchetes por exemplo, no SED é preciso fazer /\[10\.0\.0\.1\]/, enquanto no RAC é simplesmente =[10.0.0.1]=. O texto fica mais limpo e fácil de escrever.

Se o padrão for complexo e variável, sem dúvida alguma deve-se usar expressões regulares. Mas para os textos fixos é mais fácil informá-los como são, sem precisar se preocupar em escapar os caracteres especiais das expressões.

A Pergunta Que Não Quer Calar - Parte 2

- Mas por que usar o = como delimitador? Isso é anti-Unix!

Resposta curta:
O "=" foi o melhor caractere livre que encontramos.

Resposta longa:
A escolha do caractere "=" como delimitador foi feita por exclusão.

Primeiro foram excluídos da lista de caracteres possíveis as letras, números, TAB, espaço e todos os caracteres que já são operadores do RAC: "[ ] - + , ; : * ~". Caracteres já previstos para uso futuro no programa também foram eliminados: "{ } ( ) | /".

Outros foram excluídos por serem muito "cheios", visualmente muito poluentes para serem usados como delimitadores: "@ # % &".

Dos poucos que sobraram, os primeiros candidatos foram as aspas (simples e duplas), que ficam visualmente bonitas e seu uso é intuitivo. Mas é um inferno para inseri-las na linha de comando, pois são especiais para o shell e é preciso escapá-las sempre. Pelo mesmo problema de escape já foram excluídos a exclamação e o cifrão também.

Em seguida "<" e ">" pareceram bons candidatos, mas além de serem caracteres perigosos na linha de comando, são dois caracteres diferentes e para inseri-los literais somente o > precisaria ser escapado, tornando as regras mais complicadas.

Enfim, o que sobrou foi o "=". É estranho num primeiro momento pois não conhecemos nenhuma outra ferramenta que o utilize como delimitador, mas acostuma. E quanto mais o usamos mais nos convencemos que foi uma escolha boa, pois fica visualmente agradável.

E ainda tem o mnemônico de que o conteúdo é "igual" para você e para o RAC, pois nenhuma expansão é feita ;)

Voltar à página do RAC