Palestras na Sucesu-PR

Fevereiro e março de 2004, Curitiba - PR

Fui convidado pelo amigo Alessandro Binhara a ministrar palestras na Sucesu-PR, uma sociedade bacana de nerds que faz coisas para nerds.

Esta página relata como foi a minha experiência ministrando essas palestras. Também serve de ponto de partida para os alunos e interessados obterem o material dessas palestras.

Aproveito a oportunidade para agradecer ao Binhara e à Sucesu-PR pela oportunidade, pelo apoio e pela transparência nos trâmites procedurais.

Boa leitura!

18.Fev.2004 ::: SED e Expressões Regulares

O lugar fica num prédio bem no centro de Curitiba, e o local da palestra era uma sala com cadeiras para cerca de 30 pessoas. O legal da sala não muito grande é que todos ficam perto e podem enxergar direito, e eu não preciso gritar.

Cheguei cedo, às 18 horas. O Binhara estava saindo, mas ainda consegui bater um papo com ele. Lá por 18:20 os alunos começaram a chegar.

Meu material era um computador com um Linux qualquer, rodando uma interface qualquer. O que importa é que tinha o SED instalado e um terminal com as letras bem grandes para o pessoal poder enxergar. E é claro, um projetorzão pra cuspir tudo na parede.

O único probleminha foi o teclado ABNT não estava configurado corretamente no X. Algumas teclas estavam trocadas e para digitar os caracteres } e ) era preciso apertar AltGr+9 e AltGr+0. Como sou total ignorante em X e ninguém lá sabia configurar, tive que conviver com isso até o fim da palestra :)

Comecei eram 18:30. A palestra foi 100% linha de comando e tinha 20 ouvintes. Teve o blablabla inicial de apresentação que deve ter durado uns 5, 10 minutos e depois foram quatro (4) horas de deleite em brincar com SED e ERs.

Até levei um material de apoio e distribuí para os alunos, que era uma folhinha com um resumão do assunto. Bom pra ver depois, em casa. Durante a palestra nem foi usado.

Teve uma pausa de 10 minutos para o lanche às 20 horas, com sucos e bolachas, mas fora isso foi um intensivão, com os conceitos sendo mostrados um a um "ao vivo", direto no prompt. Dê uma olhada no histórico completo para ver o que você perdeu.

Eu realmente tenho um problema de me empolgar e desembestar a falar, pois mesmo com 4 horas direto ainda cabia mais uma meia hora de assuntos aleatórios.

O pessoal perguntou bastante durante a palestra, então imagino que tenham aprendido :)

Moçada, VALEU a presença e até a próxima!

Galera que agora sabe tudo de SED e ERs

03.Mar.2004 ::: Como Ser um Desenvolvedor de Software Livre

Segunda palestra, no mesmo prédio, mas dessa vez numa sala maior, mais ampla. Como foram poucas pessoas (12), ela ficou parecendo maior ainda.

Mesmo esquema da anterior: das 18:30 às 22:30, com pausa para lanche às 20:00. Dessa vez o trânsito apertou e cheguei 5 minutos atrasado. Como eu estava de carona, não podia reclamar &;)

Diferente da outra palestra, esta não foi na linha de comando, mas sim uma palestra normal, com uma apresentação de slides e um cara falando sem parar, que por coincidência, era eu :)

Ahhhh, como é bom fazer essa palestra. Me dá muita satisfação falar sobre Software Livre e espalhar por aí quais foram todas as alegrias e oportunidade que ele já me deu em troca. Foram muitas!

A palestra consiste tão somente na minha experiência como um cara que há alguns anos faz programas (de computador!) nas horas vagas e libera de graça (os programas!) para a comunidade.

Amigos, contatos, oportunidades de trabalho e ver seu nome em revistas e sites gringo são alguns dos "louros" que se colhe quando se é um Desenvolvedor de Software Livre.

O Binhara me disse que muito do que eu falei é o que prega o tal do "Extreme Programming". Bem, isso eu não sei por que nunca estudei esse treco, mas tudo o que falei foi o legítimo "Aurelio Programming", que é a experiência pura da prática, pois eu não tenho formação de programador e tampouco estudei a teoria disso, algoritmos, nada.

Falei sem parar durante as 4 horas e infelizmente ainda faltou uma meia horinha para que eu conseguisse passar tudo o que gostaria. Tive que acelerar no fim, mas foi tudo.

É apenas sentimento, mas acho que cumpri a minha missão de DESPERTAR nos ouvintes a vontade de tentar. Instigar idéias, incentivar a começar. É só isso. O resto acontece naturalmente, vencida a grande barreira inicial da inércia.

Futuros desenvolvedores de Software Livre!

Quero ver daqui um tempo essa galerinha aí lançando seus próprios softwares e mostrando ao mundo a qualidade dos programadores de horas vagas do Brasil!

— EOF —

Gostou desse texto? Aqui tem mais.

comments powered by Disqus