Entrei no Facebook

Hoje é sexta-feira 13, um bom dia para mudanças.

Eu sou um cara que demora para mudar. Quando eu gosto de algo e me sinto satisfeito, paro de procurar alternativas e não fico experimentando as novidades quando elas aparecem.

Quando comecei a trabalhar na Conectiva com o Linux, em 1997, gostei da “tela preta” (modo texto). Eu usava o teclado para digitar meus comandos e era feliz. Não precisava de mais nada. Eu não usava o mouse nem a interface gráfica. Dava mais trabalho fazer algumas tarefas, mas eu não queria mudar. Anos depois acabei me rendendo às modernidades: mouse na mão, janelinhas na tela.

Depois apareceu o tal de Orkut, e a nerdaiada da empresa se cadastrou em peso. Era bem no início, ninguém sabia o que era rede social e o Orkut ainda era vazio, habitado somente por nerds. Só muito tempo depois, quando veio a massa e até a Rede Globo explicava o que era a “novidade”, me rendi e me cadastrei. Me arrependi de não ter entrado antes, pois foi muito útil quando eu era solteiro ;)

Com o twitter, a mesma história. Só entrei depois que todo mundo já estava lá, divertindo-se há tempos. Esse eu me arrependi também por ter demorado, pois é uma excelente ferramenta, que encontrei diversos usos e gosto bastante.

Posso citar vários outros exemplos de adoção tardia, que hoje são essenciais pra mim: conexão ADSL, WordPress, Gmail, Dropbox, AdSense, SVN/GitHub, iPhone, óculos de sol, calça jeans, … :)

“Eu sou assim meio atrasadão, conservador, reacionário e caretão.” — Ultraje a Rigor

Para manter a tradição, hoje o lanterninha ataca novamente: finalmente entrei no Facebook.

— EOF —

Gostou desse texto? Aqui tem mais.

comments powered by Disqus