Audion, o programa morto pelo iTunes

O título chamou sua atenção? Que bom, esta era a intenção :)

O importante não é o Audion (que horas atrás eu nem sabia que existia), nem o iTunes, nem a Apple. Mas sim a história de como seus caminhos se cruzaram. Vou tentar resumir.

Dois piás recém-saídos da faculdade abrem uma empreseca para fazer (e vender) software. Fato comum na gringolândia, coisa rara por aqui. Eles fizeram um “tocador de MP3” quando o assunto ainda era algo nebuloso. Prezando por uma interface bonita e moderna, conquistaram uma legião de clientes (usuários pagantes).

Pressionados pelo crescimento de um programa concorrente (SoundJam), programaram incansavelmente durante anos, em uma guerra nerd para ver qual dos softwares trazia mais funcionalidades e atrativos. Com isso ambos se desenvolveram em ritmo acelerado, beneficiando os usuários.

No meio da caminho tanto a AOL quanto a Apple tentaram negociações para comprá-los, prevendo que o mercado desse tal de MP3 iria explodir. No fim a Apple acabou comprando o concorrente e o SoundJam serviu de base para o iTunes.

Apesar do seu Audion ser bem mais avançado (também editava arquivos MP3), o iTunes trouxe uma interface extremamente simples e intuitiva. E para acabar de vez com a festa, era gratuito. Depois veio o iPod e o resto da história vocês conhecem. As vendas da dupla nerd despencaram e eles aposentaram seu programa.

Diálogo do autor do Audion com o Steve Jobs (fundador estrelinha semi-deus da Apple), instantes após o anúncio do iTunes:
“Oi Steve, sou o Cabel, do Audion.”
“Opa, prazer em conhecê-lo. O que achou do iTunes?”
“Belo trabalho! Mas acho que o Audion ainda tem terreno.”
“Sério? Interessante… Honestamente? Vocês não têm a menor chance.”

Histórias parecidas já aconteceram dezenas de vezes, mas esta em especial está minuciosamente relatada pelos próprios protagonistas. Fatos, fotos, diálogos, datas, protótipos, rixas, incertezas, decisões difíceis, diversão e muita nerdice.

É um looongo relato em inglês, para ser lido com calma. Mas vale o tempo investido. É inspirador e ao mesmo tempo instrutivo. Siga os links no meio do texto, a maioria são popups com informações breves. The True Story of Audion.

Aproveitando, já leia também o relato de um ex-funcionário da Nullsoft, empresa criadora do Winamp e Gnutella, que foi comprada pela AOL. Ele conta o que acontece depois que você é comprado. Em resumo: estraga.

Para pensar na cama, mais um trecho da história, onde o programador reconhece que um software simples é melhor que um cheio de botões, janelas e configurações. Ei, galera do Linux, estão lendo com atenção?

“O iTunes era brilhante. Ele nos ensinou uma nova filosofia em design de software. Você realmente precisa daquela configuração que 1% dos usuários vão usar? Que tal melhorar o design ao invés de fazer uma janela nova para cada função? Que tal limpar a interface, mesmo que isso signifique deixar o programa menos flexível? Sim, o iTunes era limitado, mas era eficiente e muito fácil de usar. Seguimos essa filosofia hoje.”

— EOF —

Gostou desse texto? Aqui tem mais.

comments powered by Disqus